Por: Andréa Leonora | 17/09/2019

O futuro do gás natural em Santa Catarina será debatido na Federação das Indústrias (Fiesc). A Câmara de Assuntos de Energia da Federação receberá de outubro mais uma edição do evento Troca de Ideias da SCGÁS, que neste ano tratará das modernizações pelas quais o setor do gás natural no Brasil está passando, bem como dos efeitos causados por estas mudanças ao mercado catarinense.

A agenda incluirá a participação da Agência Nacional do Petróleo, Gás Natural e Biocombustíveis (ANP) e, ainda a ser confirmada, da Associação Brasileira das Empresas Distribuidoras de Gás Canalizado (Abegás). Entre os temas estão previstos “Novo Mercado de Gás” e “Chamada Pública do Gasoduto de Transporte Bolívia-Brasil (Gasbol)”, que abastece o Sul do país. Caberá a SCGÁS detalhar os avanços da Chamada Pública de Gás Natural, que resultará na assinatura de novos contratos de suprimento para o estado a partir de abril de 2020.

No mesmo evento, marcado para o dia 23 de outubro, a Assembleia Legislativa lançará a Frente Parlamentar do Gás Natural, proposta pelo deputado Luiz Fernando Vampiro (MDB), que será seu coordenador.

 

Apoio a Bolsonaro

Foto: Divulgação

 

Deputado federal Coronel Armando (PSL-SC) está se empenhando na defesa do nome do também deputado federal Eduardo Bolsonaro (PSL-SP) para assumir a Embaixada do Brasil nos Estados Unidos. Foi veemente em seu posicionamento durante reunião da Comissão de Relações Exteriores e de Defesa Nacional e partiu para cima de quem critica a indicação feita pelo presidente Bolsonaro. O parlamentar catarinense rechaçou o enquadramento como nepotismo e apontou a metralhadora de críticas à ex-ministra e ex-senadora nos governos petistas Ideli Salvatti. Para Armando, o fato de o marido de Ideli, Jefferson de Figueiredo, 2º Tenente Músico do Exército, para avaliar mísseis em missão à Rússia, sim, caracteriza nepotismo. Assim como na ocasião em que Ideli foi nomeada para cargo na Organização dos Estados Americanos (OEA), período durante o qual, segundo o deputado, Jefferson ocupou uma “vaga criada para ele”.

 

__________________________

“A aprovação da reforma não está condicionada à aprovação das medidas previstas no novo pacto federativo, cujas ações, todas elas, são importantes para melhorar a situação fiscal de estados e municípios.”

Líder do governo no Senado, Fernando Bezerra (MDB-PE), ao reconhecer que a reforma da Previdência e o novo pacto federativo caminham no mesmo ritmo. Os dois temas são importantes para a retomada do equilíbrio financeiro de estados e municípios

__________________________

 

 

Bater no PT e em petistas foi uma estratégia exitosa nas eleições de 2018. Como o deputado Coronel Armando tem tido o nome apontado como possível candidato à prefeitura de Joinville nas eleições municipais de 2020, pode também ser estratégico já definir um inimigo.

 

Na mesa O deputado Romildo Titon (MDB), relator da Medida Provisória 226, que cria uma tabela escalonada de alíquotas de ICMS para agrotóxicos, apresenta parecer sobre a matéria na reunião da Comissão de Constituição e Justiça desta terça-feira (17). Por enquanto, a discussão é quanto à constitucionalidade. Segundo o deputado, a MP é legal, mas “não é boa para Santa Catarina”. A discussão deve definir também o destino das propostas de sustação dos decretos 1.866 e 1.867.

 

Infraestrutura Comitiva organizada pelo deputado Valdir Cobalchini (MDB), com a participação do secretário de Estado de Infraestrutura, Carlos Hassler, visitou a West Rock, empresa de celulose que está investindo R$ 1,3 bilhão na planta industrial de Três Barras. O motivo para a presença do secretário foi mostrar a necessidade da construção de um elevado para separar o trânsito pesado da empresa do tráfego local. A obra envolve cerca de mil trabalhadores e deve estar concluída em um ano. No momento, é maior investimento privado em execução em Santa Catarina.

 

Valorização Há mais de cinco anos sem reposição salarial, os praças militares do Estado se mobilizam na cobrança das perdas salariais junto ao governo do Estado. A Associação dos Praças Militares de SC, presidida pelo subtenente João Carlos Pawlick, explicou que uma proposta está sendo elaborada pelo grupo e será levada ao governador Carlos Moisés. “Santa Catarina é um dos estados mais seguros para se viver graças às suas forças de segurança, principalmente os praças, que estão na ponta. Mas o nosso policial está desmotivado e ele só quer o que tem direito”, destacou Pawlick. A Aprasc tem hoje cerca de 15 mil associados.