Por: Pelo Estado por: Andréa Leonora | 30/11/2018

A Federação Catarinense de Municípios (Fecam) realizou ontem sua última grande atividade anual, como seminário, planejamento e definição de prioridades para o próximo ano, Assembleia Ordinária e inauguração da nova sede do Consórcio de Informática na Gestão Pública Municipal (Leia matéria completa sobre o CIGA no scportais.com.br). Em que pese a pauta extensa e complexa, o assunto finanças voltou a ter destaque. É que as prefeituras catarinenses aguardam ainda para 2018 o repasse de R$ 85 milhões da parte do governo do Estado. O valor resulta de 448 convênios firmados entre executivos municipais e estadual. Sem o repasse, obras e ações estão paradas. Como o prazo de vigência está acabando e no próximo ano começa um novo governo, os prefeitos estão em estado de alerta.

Para eles, só duas opções são possíveis: ou recebem os valores devidos ou o Estado prorroga o prazo dos convênios. Durante a Assembleia, coordenada pela presidente da Fecam em exercício, Sisi Blind, prefeita de São Cristóvão do Sul, ficou definido que o levantamento feito pela entidade será levado ao governador Eduardo Pinho Moreira e também ao governador eleito, Carlos Moisés da Silva, solicitando posicionamento sobre o assunto. Apesar do esforço que será feito, a presidente da Fecam não está otimista. Para ela, o valor pendente de repasse é consideravelmente alto em comparação ao tempo que o Estado tem para realizar o pagamento aos municípios.

 

Educação e homenagem

A secretária de Estado da Educação, Simone Schramm, inaugurou ontem a Escola de Educação Básica (EEB) Monsenhor Vendelino Hobold, em Itajaí, e a Escola de Ensino Médio (EEM) Professora Daniela Pereira, em Navegantes, nome em homenagem à professora conhecida na região e uma das fundadoras da Rede Feminina de Combate ao Câncer de Navegantes, que faleceu em 2014, vítima da doença. Na foto estão as filhas e a mãe da homenageada, secretária Simone e o prefeito de Navegantes, Emilio Vieira. A escola também é uma das 60 que está recebendo kit tecnológico, com lousas digitais, computadores e projetores. Com capacidade para 1440 estudantes, as unidades contam com 12 salas de aulas, seis laboratórios (dois de informática, um de matemática, física, química e biologia) e um Centro Esportivo Cultural. | Foto: Dafnée Canello/SED

 

Antes da eleição, o nome do deputado federal Esperidião Amin, eleito senador pelo PP, aparecia como provável ministro em um eventual governo Bolsonaro. Agora o nome do catarinense ganha força para presidir o Senado, uma vez que o atual presidente da Casa, Renan Calheiros (MDB-AL), está sendo rejeitado. Apesar de ter sido o segundo estado que mais deu votos ao próximo presidente, Santa Catarina ainda não tem sequer um nome apontado para o novo governo federal. O de Amin na presidência do Senado seria uma boa compensação.

 

Por outro lado, para os emedebistas catarinenses a eleição de Esperidião Amin para o cargo mais alto do Congresso teria um gosto amargo. É que, em 2015, Luiz Henrique da Silveira, nome máximo do MDB catarinense, tentou alcançar o posto, mas foi derrotado por Calheiros e as manobras petistas. Agora, seu arquirrival tem chances reais de chegar lá.

 

Contraponto A Secretaria de Estado da Fazenda entrou em contato com a Coluna Pelo Estado para esclarecer sobre a nota com título Saúde, publicada na edição de quinta-feira (29). Contrariando o que foi dito pelo deputado Neodi Saretta (PT), a Sefaz esclareceu que, até outubro, o repasse financeiro para a Secretaria de Estado da Saúde ficou em 13,09% da Receita Líquida de Impostos, e não em 11%. A informação é da diretora do Tesouro, Michele Patricia Roncalio, que reafirmou que o governo do Estado trabalha para encerrar o ano com o percentual de 14%, conforme determina a lei.

 

Entramos em contato com a Secretaria de Estado da Fazenda e com o grupo de transição para o próximo governo do Estado, buscando um posicionamento sobre a matéria que abre a coluna de hoje.  Enquanto a equipe de transição respondeu afirmando ter conhecimento do assunto e que o governador eleito, Carlos Moisés, deve aguardar o fim do exercício financeiro para que então tenha um retrato fiel da situação destes repasses com a Fecam, a Sefaz se comprometeu a passar informações sobre o assunto hoje.

 

É falsa a notícia que começou a circular em redes sociais afirmando que a Estação Experimental da Epagri em Itajaí (EEI) deixou escapar o besouro-amarelo (foto) na região.

A verdade é que o besouro Geniates barbatus é da fauna nativa catarinense e sua proliferação é natural no mês de novembro, não tendo, portanto, qualquer relação com as pesquisas desenvolvidas na unidade. “Esse besouro sempre ocorre em alta população no mês de novembro, desfolhando muitos pés de goiabeira e aroeira. Como quase todo mundo tem um pé de goiabeira no quintal, ele acaba ocorrendo em muitos locais. Além disso, o animal é atraído pela luz e entra nas casas à noite, dando a impressão de que a população é maior do que o normal”, esclarece Eduardo Rodrigues Hickel, entomologista e pesquisador da EEI.