Por: Pelo Estado por: Andréa Leonora | 27/08/2019

O presidente da Celesc, Cleicio Poleto Martins, explicou ontem que, considerando o faturamento no último ano, a estimativa é de uma economia de R$ 280 milhões nos custos com energia elétrica, nos próximos doze meses, para os consumidores atendidos em alta tensão (indústrias e grandes comércios) e de R$ 720 milhões para as classes atendidas em baixa tensão (comercial, residencial, rural, serviço público, etc). Se forem consideradas somente as residências, o valor da economia será de R$ 452 milhões, se for mantida a atual média de consumo.

A Agência Nacional de Energia Elétrica (Aneel) anunciou no dia 20 os índices de reajuste da energia elétrica, válido para a Celesc Distribuição no período de 22 de agosto de 2019 a 21 de agosto de 2020. A companhia tem cerca de 3 milhões de unidades consumidoras. O valor do reajuste foi diferenciado para cada classe de consumo e o seu efeito tarifário médio ao consumidor será de -7,80%.

No caso da baixa tensão, a redução foi, em média, de 9,16%; para a alta tensão a queda média do valor da tarifa foi de 5,53%, beneficiando principalmente a indústria. Com o tempo, esse recuo no valor da energia elétrica vai se refletir em queda de custo na produção industrial catarinense e aumento de competitividade.

 

Ninguém merece!

Ainda sobre energia… Todo mundo na maior luta por qualidade de vida e vêm vândalos para estragar tudo, destruindo ou roubando elementos da iluminação pública. Veja se não é pra irritar: Um balanço do primeiro semestre registrou 33 casos de vandalismo e seis furtos de cabos em Blumenau. No mesmo período, Joinville teve cinco casos de vandalismo na iluminação pública. Já em Florianópolis os (nada) engraçadinhos quebraram 200 lâmpadas, além do registro de 43 casos de furto de cabos. Palhoça foram 139 lâmpadas quebradas e 17 furtos de cabos. São José somou 41 lâmpadas destruídas e um número alarmante de 68 casos de furto de cabos. São mais de 400 lâmpadas e mais de 180 furtos de cabo. E estamos falando de cinco dos 295 municípios catarinenses, só dos atendidos pelo consórcio SQE LUZ (Engie e Quantum). O desafio é reduzir ao mínimo o tempo de normalização do serviço, e também conscientizar as comunidades para que denunciem e alertem sobre atividades suspeitas, ligando para o 190, da Polícia Militar. Para informar sobre lâmpadas apagadas durante a noite ou acesas durante o dia e solicitar manutenção, o munícipe deve ligar gratuitamente para o 0800 645 6405 ou comunicar pelo site sqeluz.com.br

 

 

Alienação parental Está na pauta da Comissão de Constituição e Justiça (CCJ) do Senado projeto de lei do senador Dário Berger (MDB-SC) que permite o uso da mediação em conflitos de alienação parental. Com parecer favorável da relatora, senadora Juíza Selma (PSL-MT), a proposta deve ser votada amanhã. A alienação parental é a tentativa de rompimento dos laços afetivos dos filhos em relação ao pai ou à mãe, por um dos cônjuges, em meio a um processo de separação. No Brasil, estima-se que 16 milhões de crianças e adolescentes sofrem na disputa da guarda dos filhos.

 

Inovação O programa Agentes Locais de Inovação, do Sebrae-SC, seleciona 200 micro e pequenos negócios da Grande Florianópolis, Blumenau e Chapecó para um novo ciclo de ações do projeto. “O objetivo do programa é incentivar ações de inovação nas empresas visando a sustentabilidade e o aumento da competitividade dos negócios”, explica Wanderley Andrade, gerente Regional do Sebrae-SC na Grande Florianópolis. Interessado? Preencha o formulário em sebrae.sc/selecaoempresas-ali

 

Novo mapa Com as alterações publicadas nessa segunda-feira (26) pelo Ministério do Turismo no Mapa do Turismo Brasileiro, Santa Catarina passa a ter agora 13 regiões turísticas, com a criação do Vale dos Imigrantes.

De acordo com a Agência de Desenvolvimento do Turismo de Santa Catarina, a Santur, agora o estado vai ter 177 municípios cadastrados no Mapa do Turismo 2019. Para integrar o Mapa, eles tiveram que atender alguns critérios e assumir compromissos, como a participação em Instância de Governança Regional (IGR) e possuir Conselho Municipal de Turismo (Comtur) atuante.

 

Eficiência Estudos comprovam que, ao executar uma obra ou prestar um serviço, o poder público gasta de 25% a 30% a mais do que a iniciativa privada. É por este motivo que as parcerias público-privadas (PPPs) têm sido utilizadas no mundo todo, como na implantação do sistema de metrô e do túnel sob o Canal da Mancha. Durante seminário promovido pelo Tribunal de Contas do Estado (TCE-SC) e marcado para o dia 5 de setembro, o advogado especialista no assunto Tiago Jacques falará sobre como investimentos privados podem garantir melhorias na infraestrutura em Santa Catarina. As inscrições podem ser feitas no site www.tce.sc.gov.br até o dia 3 de setembro.