Por: Pelo Estado por: Andréa Leonora | 20/11/2018

A Executiva Nacional do MDB prorrogou por 150 dias os atuais mandatos das Executivas estaduais. Isso significa que o MDB de Santa Catarina, que se programava para realizar sua convenção já no mês de dezembro, continuará sob o comando do deputado federal Mauro Mariani pelo menos até o final de maio de 2019 – quatro meses antes da convenção nacional, marcada para o dia 4 de setembro. Sem dúvida, a decisão da Nacional do MDB de adiar as convenções estaduais é uma água na fervura dos ânimos emedebistas por aqui. Sem ter sido eleito para o governo e sem mandato de deputado federal a partir de fevereiro do ano que vem, Mariani já anunciou que não pretende mais disputar novas eleições. Falta deixar claro se isso inclui não tentar a reeleição como presidente de seu partido.

O governador Eduardo Moreira afirmou que quer presidir a sigla novamente, mas condicionou a decisão à unanimidade em torno de seu nome. Ou seja, não vai se expor à disputa. Um aviso claro e direto a um nome que saiu fortalecido da última eleição – Carlos Chiodini. Ele se licenciou da Assembleia Legislativa para ser secretário de Desenvolvimento Econômico Sustentável no governo Raimundo Colombo e em parte do governo Eduardo Moreira. Voltou para a Assembleia, disputou e conquistou uma vaga na Câmara federal, e agora quer assumir a presidência do MDB-SC. Esse tempo dado (ou imposto) pela Nacional do partido pode ser precioso para uma reorganização da sigla no estado. Os emedebistas saíram tontos da campanha. Derrotados em primeiro turno mesmo na condição de donos da maior bancada estadual, do maior conjunto de prefeitos, vice-prefeitos e vereadores, e da caneta do Executivo estadual, já que têm o governo estadual desde fevereiro, eles não conseguiram prever o tsunami PSL-Bolsonaro-Moisés.

Nem toda a capilaridade do partido, organizado em todos os 295 catarinenses, conseguiu conter o avanço de um partido recém-chegado por aqui. São vários os desafios do partido até a próxima eleição (2020, para prefeitos e vereadores). Além do resgate da autoestima de seus filiados e lideranças, o MDB-SC terá que se reinventar e convencer suas bases de que houve uma mudança efetiva. Modernizar a gestão partidária, intensificar a comunicação interna e externa, seguir o caminho das redes sociais – provado como sendo eficiente, mais curto e mais barato pelo PSL – e apresentar novas propostas são movimentos essenciais para evitar, por exemplo, a fuga de potenciais candidatos às câmaras e às prefeituras municipais rumo a outras siglas. E com tendência à onda da vez, o PSL. Se não cumprirem essas tarefas, podem estar decretando o começo do fim da tão comemorada hegemonia emedebista em Santa Catarina.

 

Pente fino

Firme no objetivo de conhecer cada detalhe e cada número do que se referir ao Executivo catarinense, o governador eleito Carlos Moisés da Silva teve mais uma reunião ontem na Secretaria da Fazenda. Além de técnicos da própria Fazenda estadual, participaram do encontro técnicos do Banco Nacional de Desenvolvimento Econômico e Social (BNDES). Moisés quis conhecer melhor os moldes de financiamento e a carta de produtos ofertados pelo banco para, quem sabe, uma parceria futura. Além de um relatório dos projetos e operações contratadas, em andamento ou já aprovados do banco com o Estado, a equipe do BNDES expôs possibilidades nas esferas pública e privada para contribuir com o desenvolvimento de Santa Catarina em diferentes segmentos. O Estado catarinense é tratado pela instituição como um estado avançado em relação às outras unidades da Federação, tanto do ponto de vista fiscal quanto em gestão organizada. | Jeferson Baldo/Secom

 

O Estado não pode parar Por isso, hoje, a secretária de Assistência Social, Trabalho e Habitação (SST), Romana Remor, assina o Pacto Estadual Maria da Penha. O ato integra a programação dos 16 dias de ativismo, campanha internacional de combate à violência contra mulheres e meninas realizada em novembro.

E amanhã, a Secretaria de Estado de Turismo, Cultura e Esporte apresentará as estratégias e ações para garantir bom atendimento e segurança aos que escolherem passar as férias de verão em Santa Catarina. O pré-lançamento da Operação Veraneio 2018-2019 terá a participação do governador Eduardo Moreira.